quarta-feira, julho 24, 2024
spot_img
HomeAbusoEm Goiás, professor de educação física é preso suspeito de passar a...

Em Goiás, professor de educação física é preso suspeito de passar a mão nas partes íntimas e estuprar alunos dentro de escola

Conforme a polícia, quase 20 estudantes, entre 13 e 18 anos, denunciaram Pedro Leandro, que também é treinador de vôlei. O delegado disse que um dos menores contou que o homem fez sexo oral nele.

O professor de educação física e treinador de vôlei Pedro Leandro Castro Pereira Araújo de 34 anos, foi preso suspeito de crimes sexuais contra pelo menos 18 alunos, de 13 a 18 anos, em Anápolis. Conforme o delegado Jorge Bezerra da Polícia Civil (PC), o homem conquistava a amizade das vítimas para ter certo grau de “intimidade” e aproveitava para cometer os crimes sexuais.

“Ele começava a mostrar vídeos pornográficos, depois, a constrangê-los sobre a sexualidade. Por fim, passava a fazer algumas massagens, realizando toques inadequados nas partes íntimas desses alunos. Ele chegou a tocar nos seios de uma garota e a praticar sexo oral em um aluno”, detalhou Bezerra.

Conforme o delegado, o professor dizia que as massagens serviam para “liberar os músculos” dos estudantes. A investigação indicou também que em um dos casos, Pedro chamou os alunos para uma sala e pediu para tirarem as roupas. Além do ambiente escolar, os crimes aconteciam também durante caronas, conforme disse a PC.

“Dentro desse veículo ocorreram casos absurdos, alguns se referem a sexo oral e tentativa de estupro. São fatos gravíssimos. [Na escola] existia uma sala que se guardavam as bolas e, eventualmente, ele chamava um ou outro aluno para essa salinha e praticava os crimes”, completou.

Pedro foi preso nesta sexta-feira (15), em Goiânia. Na casa do treinador, a PC apreendeu aparelhos eletrônicos para periciar, pois uma das vítimas disse que ele mostrou foto de outro estudante nu a ela.

Bezerra explicou que a investigação começou após a escola descobrir sobre os crimes, por conta das denúncias dos alunos.

O Colégio Couto Magalhães, um dos colégios onde Pedro trabalhava, informou que agiu de forma diligente, rápida e que o treinador foi imediatamente desligado.

A própria PC divulgou o nome do suspeito. O delegado reforçou que mais alunos que foram vítimas devem denunciar aos responsáveis, escola ou polícia.

“Esse tipo de conduta não pode ficar impune”, finalizou o delegado.

FONTE: JORNAL DO VALE

NOTÍCIAS SIMILIARES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

PUBLICIDADE

spot_imgspot_imgspot_img

spot_img

spot_imgspot_imgspot_img

spot_imgspot_imgspot_img

NOTÍCIAS RELEVANTES

Comentários Recentes